Fotografia

Guto Bertagnolli e a revelação pantaneira

Guto Bertagnolli é paulista, formou-se biólogo e fez mestrado em Nova Iorque. Mas foi no Pantanal que descobriu sua vocação: a fotografia de natureza.

Alexandre Sant´Anna ·
4 de agosto de 2005 · 16 anos atrás

Guto Bertagnolli tem 33 anos e nasceu em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. O interesse pela natureza vem dos tempos de criança. A curiosidade infantil transformou-se em projeto de vida quando Guto foi fazer faculdade de Biologia em sua cidade natal.

Em 1995, resolveu passar três meses trabalhando e conhecendo o Pantanal, mas a paixão pela experiência estendeu a breve estada por quatro anos. Neste período, Guto aproximou-se de atividades de ecoturismo, e a fotografia ganhou espaço em sua vida. Passou a participar de grupo de fotógrafos especializados em natureza, e daí para produções de televisão e documentários.

Em setembro de 2003, trocou o sossego e a vida do mato por um mestrado em Biologia da Conservação, na Columbia University, em Nova York. No tempo que morou na Big Apple ele migrou para os mercados publicitário, editorial e de arte e trabalhou em revistas como a Ícaro, Oi e Uma.

De volta ao Brasil, Guto Bertagnolli encontrou refúgio em Bonito, Mato Grosso do Sul. Seu novo endereço possibilitou a participação em documentários do Animal Planet e Discovery Communication. E uma admirável coleção de fotografias dos ecossistemas pantaneiros.

Seu equipamento: nenhuma preguiça, câmeras Canon EOS 5000, Canon EOS30 (Elan 7) e Canon 10D (digital), lentes: Canon 38-76mm (4:5.6), Canon 75-300mm (4:5.6), Sigma 105mm macro (1:2.8) e flash Canon Speedlite 550 EX. Filtros diversos, polarizadores e rebatedores. Tripés e monopés Manfrotto.

Leia também

Notícias
27 de julho de 2021

Auditoria do TCU aponta erros do governo federal no combate ao desmatamento na Amazônia

O Ministério do Meio Ambiente terá 120 dias para apresentar um plano de ação com cronograma e medidas que corrijam as falhas apontadas pelo TCU, como a asfixia do Ibama por falta de fiscais

Colunas
27 de julho de 2021

O Brasil precisa aprender a viver no Antropoceno

Se vamos ter que navegar pelo Antropoceno, como espécie e como nação, vamos ter que rever nossa organização interna para conter a degradação

Notícias
27 de julho de 2021

MPF entra com ação civil pública contra fusão do Ibama e ICMBio

Procuradores pedem que Ministério do Meio Ambiente e autarquias escutem a sociedade civil e consulte povos afetados antes de qualquer decisão administrativa sobre o fim do ICMBio

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta