Adriana e as tartarugas – heroínas anônimas

Frederico Brandini
segunda-feira, 12 maio 2008 17:02

Conheça a história de uma jovem cirurgiã que ama fotografar a vida marinha e um dia resolveu saltar no mar para salvar uma enorme tartaruga que morria enroscada numa rede.

O último dos carnívoros

Frederico Brandini
quarta-feira, 27 fevereiro 2008 17:44

Além das transformações que culminaram com a era industrial, as alterações da biodiversidade provocadas pelo homem têm papel fundamental no desequilíbrio do fluxo de carbono.

Abrindo os olhos para o mar

Frederico Brandini
segunda-feira, 12 novembro 2007 16:55

Para os deficiente visuais, o contato direto com a natureza marinha é uma experiência inesquecível. Sem apoio, uma jovem universitária luta para manter seu projeto no Paraná.

Biodiesel, a bola da vez

Frederico Brandini
terça-feira, 11 setembro 2007 13:57

Nossa política de biocombustíveis tem defeitos congênitos. A começar pelos ambientais. A produção a partir de microalgas marinhas pode reverter a tendência nacional ao erro.

A latitude dos cavalos

Frederico Brandini
quarta-feira, 27 junho 2007 17:07

Os giros anti-ciclônicos são lugares ideais nos mares para avaliar a contaminação no planeta. Em vez de vida marinha, as correntes transportam lixo para essas regiões.

Nibs – o campeão do microlixo marinho

Frederico Brandini
quinta-feira, 10 maio 2007 14:20

Os oceanos do mundo inteiro estão infestados por minúsculas partículas de plástico transportadas em navios mercantes. A contaminação é crônica e cumulativa em muitas espécies.

Energia do mar: soluções para o aquecimento global

Frederico Brandini
segunda-feira, 19 março 2007 19:20

O mar é uma esperança futura para produção de energias limpas. Já há tecnologia para obter eletricidade por ondas, correntes, ventos, temperatura e diferença de salinidade.

O Mar dos Maias

Frederico Brandini
quarta-feira, 17 janeiro 2007 18:35

Nadar nos principais pontos de mergulho do Caribe não significa mais se submeter ao cerco de espécies marinhas. O fundo do Oceano Atlântico está cada vez mais deserto.

Se nadar o bichin pega! Se boiar o bichin come!

Frederico Brandini
quinta-feira, 9 novembro 2006 18:02

Novos ataques de tubarões sempre trazem à tona a repulsa pelo bicho, que ganha fama de agressivo quando são os seres humanos que violentamente destroem o seu lar e alimento.