Colunas

“Olhares selvagens”, um passeio pela biodiversidade amazônica

A maior floresta tropical do planeta é também a mais biodiversa. Ela abriga milhões de espécies, das quais milhares ameaçadas pelo homem.

24 de agosto de 2012 · 9 anos atrás
  • Eduardo Franco Berton

    Assessor jurídico da Natura Bolívia, organização apoiada pela Fundação Avina, com atuação na Amazônia e membro da Aliança Reg...

“Chegará o dia em que matar um animal será
considerado um crime de lesa humanidade”

Leonardo Da Vinci

Com seus 6,7 milhões de hectares, abrangendo 9 países da América do Sul, o bioma amazônico não só contém a maior floresta tropical do mundo, mas também a área mais rica em biodiversidade. Este enorme território é o lar de 2,5 milhões de espécies de insetos, 2,2 mil peixes, 1,3 mil aves, 427 mamíferos, 428 anfíbios, 378 répteis e de 30 mil plantas.

Há espécies tão peculiares como estranhas, das mais diversas formas, tamanhos e cores. Elas atraem os cientistas, ávidos por estudar seu comportamento, habitat e distribuição; como também fascinam os visitantes tiveram oportunidade de apreciá-las da maneira que é incomparável: na própria floresta amazônica.

Infelizmente, hoje, é grande o número de espécies locais ameaçadas ou, pior, extintas. De acordo com a lista vermelha da UICN (União Internacional para a Conservação da Natureza), mais de 4 mil espécies estão ameaçadas na região. Algumas como a imponente e popular onça (Panthera onca) – o maior felino das Américas e o terceiro do mundo – continuam em declínio por fatores como a fragmentação de seu habitat e a caça ilegal.

Olhares selvagens, nome deste ensaio, é uma coleção de imagens que retrata algumas das mais belas espécies da majestosa floresta, uma homenagem à sua beleza e um chamado urgente para sensibilizar o homem, sua principal ameaça.

Leia também

Análises
17 de setembro de 2021

O Brasil no coração da conservação mundial da natureza

O Congresso da IUCN anunciou a agenda de conservação da natureza para a próxima década, invocando os governos a empreender uma recuperação baseada na natureza no pós-pandemia

Notícias
17 de setembro de 2021

Ministério cria programa para fazer o que a Agência Nacional de Águas já faz

Lançado nesta sexta (17), o Rio+Limpos tem como objetivo disponibilizar dados sobre qualidade das águas e fomentar ações de melhoria e saneamento, competências historicamente feitas pela ANA

Notícias
17 de setembro de 2021

Tocantins vende terras públicas invadidas a R$ 3,50 o hectare

Valor é o mais baixo entre os estados da Amazônia, revela estudo do Imazon. Além do preço irrisório, Tocantins tem pior colocação no ranking de transparência

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta