Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Samarco recebe licença para voltar a operar

Sabrina Rodrigues
segunda-feira, 28 outubro 2019 18:32
A Câmara de Atividades Minerárias (CMI) do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou nesta sexta-feira, 25 de outubro, a Licença de Operação Corretiva (LOC) da Samarco Mineração. Foto: Divulgação Semad.

A Sarmarco recebeu, na sexta-feira (25), licença para voltar a operar. A autorização foi concedida pela Câmara de Atividades Minerárias (CMI) do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) de Minas Gerais. A empresa retomará as suas atividades no Complexo de Germano, em Mariana (MG), onde aconteceu o rompimento da barragem de Fundão deixando 19 mortos e derramando 34 milhões de metros cúbicos de lama sobre o Rio Doce, em 05 de novembro de 2015.

A autorização teve 10 votos a favor, um voto contrário (Fonasc) e uma abstenção (Sedese). A CMI  é composta por 12 conselheiros representantes das seguintes entidades: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG); Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede); Secretaria de Estado de Governo (Segov); Sindicato da Indústria Mineral do Estado de Minas Gerais (Sindiextra); Fórum Nacional da Sociedade Civil nos Comitês de Bacias Hidrográficas (Fonasc-CBH); Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas); Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig); Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet); Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram); Agência Nacional de Mineração (ANM); Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

A Samarco Mineração é controlada pelas mineradoras BHP Billiton e a Vale, responsável pela barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, que se rompeu no dia 25 de janeiro, causando 270 mortes.

Em nota à imprensa, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas Gerais alega que todas as análises foram realizadas durante a tramitação do processo de Licença de Operação Corretiva (LOC) da Samarco Mineração, e que a Copam deliberou pela concessão do licenciamento ambiental.

“Na reunião de votação, nesta sexta-feira, 25 de outubro, também foram discutidas as condicionantes ambientais que a empresa deve cumprir durante o prazo da licença, que é de 10 anos. Muitas dessas condicionantes trazem também um retorno de contrapartidas ambientais positivas, que devem ser monitoradas e fiscalizadas pela autoridade licenciadora. A retomada das atividades não é automática pois são necessárias obras que levarão cerca de 15 meses. Após o término dessas obras, de fato, a empresa terá sua retomada operacional” declarou a Semad.

Também em nota, a Samarco informou que espera reiniciar as suas operações utilizando novas tecnologias para o empilhamento de rejeitos a seco. Após a implementação do sistema de filtragem, sujeita à aprovação de seus acionistas, a Samarco estima que a retomada de suas atividades ocorrerá por volta do final do ano de 2020.

 

 

Leia Também

Justiça condena vale pela primeira vez pelo rompimento da barragem de Brumadinho

Por crime ambiental, PF indicia executivos da Samarco e Vale

Bruno Milanez: “Auditorias apontaram 27 barragens de rejeitos sem estabilidade garantida”

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.