Fazendeiro é flagrado ateando fogo na Chapada dos Veadeiros
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Fazendeiro é flagrado ateando fogo na Chapada dos Veadeiros

Sabrina Rodrigues
quarta-feira, 2 outubro 2019 20:31
Incêndio de grandes proporções atingiu a região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Foto: Jurandir Silva/Facebook Brivac – Brigada Voluntária Ambiental de Cavalcante.

Um fazendeiro foi flagrado ateando fogo em uma área de vegetação na Chapada dos Veadeiros, em Cavalcante, Goiás. O crime ocorreu justamente quando agentes do Ibama, ICMBio e Corpo de Bombeiros conseguiram cessar um incêndio que assolou a região durante uma semana. 

Durante uma ronda dos fiscais do Ibama na região, os agentes avistaram uma fumaça e um homem no momento em que colocava fogo na mata. 

O que apuramos é que o homem, que não teve o nome divulgado, foi autuado por realizar queimada sem autorização e por desrespeitar o decreto presidencial que proíbe uso de fogo por 60 dias.

O Ibama não respondeu ao contato de ((o))eco para mais detalhes sobre o caso.

Cessa incêndio que durou uma semana

Um incêndio de grandes proporções atingiu o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Depois de mais de uma semana de esforços conjuntos de brigadistas, ICMBio, Ibama, Corpo de Bombeiros e voluntários, o primeiro foco a ser extinto foi o do Sertão Zen, na sexta-feira (27). O outro, na Serra da Boa Vista/Rio dos Couros, que estava fora dos limites da unidade, foi extinto no final do sábado (28). Já na manhã de domingo (29) foi a vez na região Terra do Segredo, que teve a extinção do fogo favorecida pela chuva.

O Combate ao fogo uniu brigadistas, bombeiros e voluntários. Foto: Jurandir Silva/Facebook Brivac – Brigada Voluntária Ambiental de Cavalcante.

A polícia investiga se o incêndio foi criminoso. 

Segundo o grupo Rede Contra o Fogo, formado por moradores de Alto Paraíso, o fogo atingiu cerca de 3 mil hectares no interior do parque e mais 3,5 mil hectares no entorno da unidade de conservação. 

A Operação Alto Paraíso contou com noventa pessoas dentre brigadistas do ICMBio, do Ibama, bombeiros militares, voluntários da Rede Contra o Fogo e com a presença do Diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação (Diman), Marcos de Castro Simanovic, que acompanhou de perto a Operação Alto Paraíso.

Para combater o incêndio foram utilizados quatro aviões-tanque e retardantes de chamas, um helicóptero, veículos e drones.

 

 

Leia Também

Pará: Incêndio em Alter do Chão foi parcialmente controlado

Polícia Federal vai investigar incêndio na Chapada dos Veadeiros

Bolsonaro assina decreto que proíbe uso de fogo por 60 dias

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.