Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Dragagem na baía de Sepetiba é suspensa devido a morte de botos-cinza

Sabrina Rodrigues*
quarta-feira, 24 janeiro 2018 18:20
Desde o final de novembro, um surto do vírus tem causado a morte dos botos-cinza na Baía de Sepetiba e em Ilha Grande, no Rio de Janeiro. Foto: Instituto Boto Cinza/Wikipédia.

Atendendo a recomendação do Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro e em Angra dos Reis, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente decidiu, na terça-feira (23), suspender por 15 dias, a dragagem da Vale S/A, na Baía de Sepetiba, local onde ocorre um surto do vírus morbilivírus, causador do óbito de quase 200 botos-cinza.

Desde o final de novembro, um surto do vírus tem causado a morte dos botos-cinza na Baía de Sepetiba, em Itaguaí, no Rio de Janeiro e em Ilha Grande. Os biólogos afirmam que a mortandade dos animais é consequência da degradação da Baía de Sepetiba, agredida pelo lançamento de rejeitos industriais, metais pesados e esgoto in natura. A morbilivirose, que não é transmitida para o ser humano, atinge o cérebro e os pulmões dos cetáceos, sendo mais fatal em bichos com baixa imunidade.

Na recomendação, o MPF deu um prazo de 72 horas para que o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) revogasse espontaneamente a licença que concedeu em 2017 à Companhia Portuária Baía de Sepetiba (CPBS), até “a completa normalização” da situação.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro.

 

Leia Também

Estudo revela espécies existentes e em risco de extinção na Baía de Guanabara

A Baía de Guanabara não está morta

Baía de Guanabara: Mortandade de peixes ainda sem explicação

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.