Por redução de desmatamento, ministra receberá prêmio na ONU

((o))eco
segunda-feira, 16 setembro 2013 21:49

 

Ministra Izabela Teixeira receberá o prêmio “Campeões da Terra”. Em cima, ela está ao lado de Denise Hamú, representante do PNUMA no Brasil. Elza Fiúza/ABr.
Ministra Izabela Teixeira receberá o prêmio “Campeões da Terra”. Em cima, ela está ao lado de Denise Hamú, representante do PNUMA no Brasil. Elza Fiúza/ABr.

A ministra Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, foi escolhida para receber o mais importante prêmio ambiental das Nações Unidas: o Campeões da Terra. A cerimônia será realizada na próxima quarta-feira (18), em Nova York e irá homenageá-la pelo trabalho na manutenção na queda anual de desmatamento na Amazônia Legal.

O resultado da premiação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) foi divulgado na última quinta-feira (12). O prêmio existe desde 2005 e é destinado a líderes de governo, da sociedade civil e do setor privado que tiveram atuação ambiental destacável. Segundo a ONU, 59 pessoas e organizações já foram homenageadas. Izabella será condecorada na categoria Liderança Política.

“Este prêmio é um reconhecimento a uma carreira de 30 anos como analista ambiental e a toda uma geração de analistas ambientais que também está fazendo a diferença. A área ambiental tem temas muito complexos de negociação. Ninguém discorda que é preciso ter um planeta mais limpo, sem poluição e sem desmatamento ilegal, mas na hora de construir as soluções para resolver os problemas é um processo muito complexo”, afirma Izabella, em discurso de agradecimento registrado pela Agência Brasil.

O desmatamento na Amazônia Legal vem caindo desde 2005. Em 2012 atingiu o menor valor histórico do desmatamento na Amazônia Legal desde que a região começou a ser monitorada pelo INPE, em 1988.

Quando saíram as estimativas do Prodes, em novembro do ano passado, os negociadores brasileiros no Qatar, durante a COP 18, foram aplaudidos de pé. Em maio, os dados consolidados abaixaram ainda mais o desmatamento, menor que 5 mil km², uma marca considerada irreal há 8 anos, quando o desmatamento atingiu 19 mil km² na Amazônia.

Esta é a segunda vez que um ministro brasileiro ganha o prêmio. Em 2007, a então ministra Marina Silva também foi contemplada.  

 

Leia Também

Dia do Índio: Almir Suruí, eleito herói da floresta pela ONU
Confirmado o menor desmatamento da história na Amazônia
Ministério do Meio Ambiente ganha 952 mil hectares para preservar

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.