Palmilhando
Pelas trilhas do Brasil e do mundo, Pedro da Cunha e Menezes conta as últimas novidades de manejo em unidades de conservação e dá dicas sobre destinos de viagens de aventura.

Caminharte (ou a arte de sinalizar):

Pedro Cunha e Menezes
segunda-feira, 1 março 2010 17:13
Nem mais nem menos, a Madeira tem um dos sistemas de trilhas mais bem sinalizado do mundo. As dezenas de “percursos de pequena rota (PR)” que esquadrinham a Ilha estão balizados por setas de madeira que trazem esculpidas em baixo relevo as cores da trilha, o número do PR, o nome do próximo ponto importante e a distância a ser percorrida. É quase impossível se perder, o que desistimula o caminhante a se aventurar por uma trilha que não tenha a sinalização oficial (e há tantas delas, que para o turista normal não existe razão para fazê-lo).
 
Para quem não é tão normal assim e gosta de explorar picadas mais fechadas em regiões um tanto inóspitas, os excursionistas madeirenses tampouco descuidaram da sinalização: adotaram os tótens de pedra, balizamento tradicional entre a gente de montanha mundo afora. O fizeram com uma arte inigualável, transformando pachorrentamente o labor de amontoar seixos em uma bela decoração rupestre. Funciona! Além de indicar o caminho regala os olhos.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.