O déficit na produção de alimentos
Geonotícia
Jornalismo feito com imagens de satélite e ferramentas geoweb

O déficit na produção de alimentos

Paulo André Vieira
segunda-feira, 12 agosto 2013 6:22

Algumas semanas atrás este blog mostrou que uma boa parte das terras cultiváveis de nosso planeta é usada para produzir ração para animais. Voltamos hoje ao assunto, desta vez para mostrar como as terras dedicadas a cultivar comida para seres humanos estão sendo aproveitadas.

Os mapas abaixo mostram que nosso planeta tem a capacidade de produzir muito mais comida do que é produzido atualmente. Esse conjunto de dados, fornecido pela Universidade de Minessota, mostra as produções atuais e potenciais para três das principais culturas de alimentos, milho, trigo e arroz, medida em toneladas por hectare. O potencial de rendimento para uma determinada área é determinado usando a produtividade de uma outra região com condições ambientais análogas como referência, assumindo que o uso da água e de fertilizantes estiver otimizado. Em ambos os mapas, as áreas mais escuras mostram rendimentos menores, enquanto que as áreas rosas indicam rendimentos mais elevados.

O mapa em amarelo destaca a diferença entre os rendimentos atuais e potenciais. Enquanto algumas regiões podem ter um rendimento potencial muito alto, ele já pode ser quase igual à produção atual, como é o caso do Meio-Oeste dos EUA onde a produção está muito perto de seu pleno potencial. Regiões com maior espaço para melhorias, no entanto, se destacam em amarelo brilhante no mapa. Os pontos brilhantes na Ásia, na África Ocidental, Europa Oriental e América Central, por exemplo, indicam locais onde mais alimentos podem ser produzidos.

Fizemos também um recorte dos mapas, destacando o Brasil.

 

Leia também
A produção de alimentos vista do espaço
O crescimento urbano visto do espaço
Índios x brancos: o que não falta é terra
Hambúrguer in vitro: futuro possível para o consumo de carne
Vamos comer insetos?
‘Nunca é por causa da demografia’

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.