Fauna e Flora
Curiosidades e notícias sobre os bichos e plantas de todo o mundo

Filhote de suçuarana é adotado pelo centro de animais da Unesp

((o))eco
terça-feira, 26 fevereiro 2013 20:01
Nino, com cerca de 40 dias, é alimentado pela médica veterinária residente Daniela Akemi.Foto: Aline Grego.
Nino, com cerca de 40 dias, é alimentado pela médica veterinária residente Daniela Akemi.Foto: Aline Grego.

Portegido e alimentado, nem parece que esse filhote de suçuarana, também conhecido por onça parda (Puma concolor) é um sobrevivente. Foi adotado no final de novembro, com menos um mês de vida, após sua mãe ser atropelada em uma rodovia em Ituverana, divisa dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Atualmente, vive sob os cuidados dos veterinários do Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, Campus de Botucatu.

Virou sensação no Centro. Por causa das inúmeras perguntas sobre o sexo do bichano, ganhou o nome de Nino. ‘É Nino de menino. As pessoas o chamavam de onça, ou perguntavam pela onça, daí respondíamos que era menino e ficou Nino’, afirma o professor Carlos Teixeira, em entrevista ao portal da Instituição.

O filhote está com quase 4 meses e pesa mais de 6 kg. Quando chegou, no final de novembro, pesava menos de 1 kg. “Ele ficará no Cempas para que possamos acompanhar seu crescimento e dieta, pois há uma variedade de doenças nutricionais que podem afetar esses animais enquanto filhotes”, afirmou Guilherme Duarte, médico veterinário residente do CEMPAS, em entrevista por email a ((o)) eco.

Não ligue para a mamadeira rosa, é um menino. Foto: Aline Grego
Não ligue para a mamadeira rosa, é um menino. Foto: Aline Grego

Pelo menos até completar 6 meses, o filhote terá sua moradia garantida no Cempas de Botucatu. A avaliação da equipe que cuida do Nino é que ele dificilmente retornará à natureza, pois desde muito pequeno tem contato com pessoas e não conseguiria se adaptar.

“Após passado o período crítico o colocaremos a disposição dos órgãos competentes para que possa ser encaminhado a um Zoológico, criadouro ou qualquer instituição apta a recebe-lo, porém apenas a secretária do Meio Ambiente poderá autorizar essa transferência”, explicou Duarte.

A onça parda é uma espécie classificada como vulnerável. A principal ameaça à sobrevivência da espécie vem por perda de seu habitat e caça ao animal.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.