Balela da crise de alimentos

Curtas
quarta-feira, 30 setembro 2009 20:05

Demorou, mas o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) finalmente incorporou dados sobre a agricultura familiar em seu censo agropecuário. Os dados só reforçam que o alimento do qual o brasileiro depende para sobreviver não vem do agronegócio, ao contrário do que o setor costuma argumentar para justificar a importância do avanço da agricultura mecanizada em larga escala pelos interiores do país.
O IBGE identificou mais de quatro milhões de estabelecimentos de agricultura familiar no país, representando 84,4% do total. Apesar disso, os pequenos ocupam 24,3% da área destinada à agricultura no Brasil. Os dados, coletados para o ano de 2006, indicam que a agricultura familiar foi responsável por 87% da produção nacional de mandioca, 70% do feijão, 46% do milho, 38% do café, 34% do arroz, 58% do leite, 59% dos suínos, 50% das aves, 30% dos bovinos e 21% do trigo. Muitíssimo superiores aos níveis de emprego dos carros-chefes da economia brasileira agrícola, pecuária e soja, 74% dos trabalhadores no campo atuam na agricultura familiar.
Leia o estudo na íntegra
Celeiro do mundo, comida importada

Mais um plano sem metas

Curtas
quarta-feira, 30 setembro 2009 18:17

O governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, aprovou ontem as diretrizes de seu Plano Estadual de Recursos Hídricos. O plano, tal qual outros que o Brasil está acostumado a ver, não traz metas claras. Seus objetivos são “implementar os instrumentos de gestão de recursos hídricos, fortalecer o sistema estadual de gestão integrada de recursos hídricos, induzir a pesquisa e a capacitação dos recursos hídricos e fortalecer a articulação institucional de interesse à gestão dos recursos hídricos”. Os principais rios do país que nascem em Mato Grosso mereciam mais.

O estado, e notadamente no Cerrado, é berço dos principais rios das bacias do Prata (Paraguai, Cuiabá, São Lourenço) e Amazônica (Guaporé, Juruena, Teles Pires, Xingu, Mortes, Araguaia), e o melhor que tem feito para protegê-los tem sido deixar suas nascentes ilhadas com nacos de vegetação ciliar em meio às lavouras de soja. Isso sem falar na moda das usinas hidrelétricas, de grande ou pequeno porte, que se espalham como praga nos rios mato-grossenses. Segundo mapas da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), até o ano passado havia mais de 80 empreendimentos hidrelétricos em fase de estudos só na bacia do rio Juruena.

Saldo da proibição de queimadas

Curtas
quarta-feira, 30 setembro 2009 18:15

Terminou hoje o período proibitivo para queimadas em Mato Grosso. Graças à chuva que caiu antes do tempo no estado tradicionalmente mais incendiário do país, este ano bombeiros e brigadistas tiveram bem menos problemas em debelar as chamas. O período de proibição de queimadas começou no dia 15 de julho e não abarcou as queimadas em canaviais, que estiveram autorizadas nos últimos meses. Nesse período, Mato Grosso registrou mais de 17 mil focos de calor, sendo 1.279 só no município de Colniza, em plena frente de desmatamento na Amazônia. Como queimar é crime o ano inteiro, a diferença agora é a possibilidade de obtenção de aval para atear fogo, mediante pedido formal à Secretaria do Estado de Meio Ambiente (Sema). Achar quem siga o trâmite legal é que é raro.

Clique na imagem ao lado para ver os focos de incêndio no Google Earth (crédito: INPE)

SOS florestas tropicais

Curtas
quarta-feira, 30 setembro 2009 18:10

 A iniciativa do Príncipe de Gales para salvar as florestas tropicais ganhou apoios de peso. Em vídeo estrelado por Sting e sua canção “Message in Bottle”, diversas celebridades, entre elas o rei Pelé e o ator britânico Stephen Fry, expressam seu apoio ao projeto de Charles. Veja o vídeo abaixo (em inglês)

Solução à queima roupa

Curtas
quarta-feira, 30 setembro 2009 16:21

Só depois de muita pressão Carlos Minc se posicionou sobre a conservação da rã Physalaemus soaresi, na Flona Mário Xavier, em Seropédica, ameaçada por obras do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. E se posicionou mal. 

Participe da contagem nacional das aves

Curtas
terça-feira, 29 setembro 2009 21:26

Que tal ajudar os estudiosos das aves nacionais a entenderem os hábitos migratórios, o tamanho das populações e as ameaças sofridas pelas espécies aladas? Você pode fazer isso participando da terceira edição da Contagem Nacional das Aves, que ocorrerá por todo o país entre os dias 03 e 12 de outubro. O método não poderia ser mais simples: basta fazer o download da listagem de aves nacionais aqui em O Eco, junto com o formulário e sair observando os pássaros que cruzam os nossos céus.

Os participantesdevem escolher um ou mais locais no período de observação. Pode ser na cidade, em parques, trilhas, onde quiserem. O formulário preenchido deve ser enviado para o email  contagemdasaves@gmail.com, contendo dados como nome do observador, local, cidade e estado da observação, a quantidade de horas despendidas, e os nomes científicos e comuns das aves.  

Dúvidas podem ser direcionadas ao email  contagemdasaves@gmail.com. 

E se você fotografar as aves observadas, mande sua foto para O Eco. É uma oportunidade de ter seu trabalho publicado num dos mais conceituados veículos de jornalismo ambiental do Brasil.

DOWNLOAD – LISTAGEM DE AVES NACIONAIS

DOWNLOAD – FORMULÁRIO DA CONTAGEM NACIONAL

Conservação à americana

Andreia Fanzeres
terça-feira, 29 setembro 2009 20:36

Maior programa de conservação de terras privadas dos EUA quer, na verdade, recuperar fertilidade das propriedades. Parece pouco, mas projetos pontuais de exploração de florestas podem ser exemplo.

As pedras de ltacueretaba

Aldem Bourscheit
terça-feira, 29 setembro 2009 18:50

Quem chega ao Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa (PR), nota logo de início algo fora do convencional: há guaritas, estacionamento, centro de visitantes, funcionários. Uma infraestrutura de dar inveja.  Veja slide show com fotos do parque.