Operação Ouro Verde II

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:24

A Polícia Federal foi a campo nesta sexta-feira no Pará para desbaratar quadrilha especializada em fraudar o Documento de Origem Florestal (DOF), sistema informatizado que estreou em setembro passado para controlar o transporte de produtos florestais em substituição às ATPFs, de papel. Madeireiros, fiscais corruptos e hackers faziam parte do esquema que inseria indevidamente créditos florestais no cadastro de empresas para impressão dos DOFs.

Invasão

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:21

Segundo as investigações, em cinco dias uma empresa conseguiu emitir 18.792 DOFs, o suficiente para vender 600 mil metros cúbicos de madeira. A polícia suspeita que os criminosos tenham conseguido desbloquear o Cadastro Técnico Federal do Ibama e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Pará pela internet. A operação envolve 140 policiais no Pará, Rondônia e Maranhão que cumprem 34 mandados de busca e apreensão, 24 de prisão temporária e seis de prisão preventiva.

De novo

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:20

Em outubro de 2005, a Polícia Federal deflagrou a Operação Ouro Verde I ao identificar rigorosamente o mesmo tipo de crime. Mas em vez de falsificação de DOF, algo ainda recente, os policiais identificaram uma fábrica clandestina de ATPFs em Goiás.

Explicação

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:17

Procurado por O Eco para explicar porque ganhou autorização de João Paulo Capobianco para licenciar obras do programa Luz para Todos em Angra dos Reis e Paraty, no sul fluminense, o superintendente do Ibama no Rio de Janeiro, Rogério Rocco, disse que já centralizava toda autorização sobre intervenções em unidades de conservação federais no estado. Estava prestes a assinar a licença para eletrificação rural na Área de Proteção Ambiental do Cairuçu quando veio a criação do Instituto Chico Mendes (que passou a ter o controle das unidades). Perdeu, com isso, a competência de dar o seu aval. A portaria de Capobianco lhe devolveu a atribuição.

Sumidouro

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:16

O engenheiro florestal Alessandro Lechinoski, bolsista de iniciação científica no Museu Goeldi, descobriu que a Floresta Nacional de Caxiuanã, no Pará, se comporta como um sumidouro de carbono. Durante o dia retira mais CO2 da atmosfera do que libera à noite. A identificação de padrões de comportamento nas trocas entre a floresta e a atmosfera lhe rendeu um prêmio da Sociedade Brasileira de Meteorologia e será tema de palestra em Belém na próxima terça-feira.

Investimento

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:16

O Instituto Estadual de Florestas do Rio de Janeiro prometeu nesta semana destinar 1,28 milhões de reais ao Parque Estadual do Desengano, o maior da região norte fluminense e considerado estratégico para preservação da Mata Atlântica no estado. A verba vem de recursos de compensação ambiental e do projeto de Proteção da Mata Atlântica, uma parceria entre o estado e o governo alemão. A idéia é investir em fiscalização e melhorias na infra-estrutura.

Portal

((o))eco
sexta-feira, 29 junho 2007 19:14

O Instituto Socioambiental (ISA) lançou um portal na internet que se propõe a reunir dados sobre todas as unidades de conservação da Amazônia Legal. A pesquisa pode ser feita por estado, e contém campos sobre história, legislação, conflitos, pressões e gestão. Mas há poucas informações aprofundadas.

Penas em foco, por Bento Bueno

Adriano Gambarini
sexta-feira, 29 junho 2007 18:57

A visita a um criadouro de aves exóticas em São Paulo rendeu ao fotógrafo Bento Bueno um ensaio sobre penas. Deu trabalho, os pássaros protestaram, mas o resultado impressiona.

Símbolos seguros

Rafael Corrêa
sexta-feira, 29 junho 2007 18:28

Enquanto os Estados Unidos comemoram a saída da águia-símbolo da lista de espécies ameaçadas, o Brasil resolveu o problema pela raiz, escolhendo um símbolo pra lá de ordinário.