Pesquisa no Itatiaia

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 18:56

No dia 1o de dezembro acontece no centro de visitantes do Parque Nacional do Itatiaia (RJ) mais um ciclo de apresentações de pesquisas realizadas na unidade de conservação. Das 9h às 18h haverá trabalhos da Escola Nacional de Botânica tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, exposições sobre anfíbios de altitude do Itatiaia, exibição do filme “O Itatiaia – visto por dentro”, a respeito da avifauna do parque, e outras atrações.

O código de defesa dos consumidores e as montanhas

Paulo Bessa
quinta-feira, 30 novembro 2006 17:02

Ibama tenta enquadrar os apilnistas no Código de Defesa do Consumidor para se proteger de processos na hora em que os atletas se machucam em unidades sob gestão federal.

Quente como o Saara

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 16:38

Um trecho da Amazônia sem vegetação pode ser tão quente quanto um oásis no Saara. Esta é uma das conclusões do artigo escrito por D. Mildrexler, M. Zhao and S.W. Running, divulgado pelo Earth Observing System (EOS) da Nasa. O estudo desenvolveu uma metodologia para identificar os locais mais quentes sobre a superfície global e mostrou que eles estão onde não há vegetação. Já nos lugares onde há agricultura irrigada, o impacto do desmatamento sobre o clima é menor. Os autores argumentam que mudanças do uso da terra, mesmo que pequenas e não captadas por satélites, influenciam o aumento da temperatura atmosférica.

Prioridades pantaneiras

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 16:31

Começa na semana que vem, no dia 6 de dezembro, o seminário de áreas prioritárias para a conservação no Pantanal. O encontro vai reunir cientistas, governo, sociedade civil e setor privado em Campo Grande (MS). Uma das questões mais importantes será distinção entre o que são efetivamente áreas do Pantanal no Mato Grosso do Sul e o que são áreas de Cerrado.

Floresta em exposição

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 16:29

Projeto de educação ambiental do Jardim Botânico de Belo Horizonte vai reproduzir a Mata Atlântica dentro de uma estufa. Com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minhas Ferais (Fapemig) e apoio do Instituto Estadual de Florestas (IEF), o espaço verde de oito metros
de altura será construído em três etapas e deve estar pronto em, no máximo, dois anos. Mais de mil indivíduos de 132 diferentes espécies já estão em crescimento no Jardim Botânico, algumas delas ameaçadas de extinção.

Negócios

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 16:19

O programa Biota da FAPESP, criado em 1999 para inventariar a biodiversidade do estado de São Paulo, realizará de 4 a 8 de dezembro o workshop “Estimation of biomass and carbon stocks: the case of the Atlantic Rain Forest”. O encontro, que acontece na cidade de Ubatuba, contará com a presença de pesquisadores de diversos países e discutirá temas como o sensoriamento remoto de biomassa e biomassa na Mata Atlântica.

Fumaça

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 14:54

Por enquanto, os sinais que saem do palácio do governo em Belém, capital do Pará, indicam que o governador Simão Jatene vai mesmo assinar os decretos criando 16, 4 milhões de hectares de áreas protegidas no estado. O cerimonial começou a distribuir convites para a cerimônia de assinatura. Ela está marcada para a próxima segunda, dia 4, às dez horas da manhã, no auditório da Estação das Docas na capital paraense.

Show

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 14:51

Técnicos da secretaria estadual de ciência, tecnologia e meio ambiente (Sectam), do Imazon e da Conservation International que fizeram todos os estudos e levantamentos para a criação das áreas que ficarão na Calha Norte do rio Amazonas no Pará, estão dando os últimos toques na apresentação que será feita na cerimônia de assinatura dos decretos. Ela vai se concentrar em mostrar mapas e a relevância biológica das novas unidades – três Florestas Estaduais, uma Estação Ecológica e uma Reserva Biológica que cobrirão 12, 7 milhões de hectares.

Importância

((o))eco
quinta-feira, 30 novembro 2006 14:47

As áreas na Calha Norte são de longe as mais importantes do pacote que será assinado por Jatene. Junto com as Terras Indígenas e unidades de proteção integral que o governo federal já têm na região, formarão um complexo de extensão continua de mais de 27 milhões de hectares de áreas protegidas. No gênero, é a maior do mundo.