Enquanto os jornalistas dormem…

Marcos Sá Corrêa
sexta-feira, 24 fevereiro 2006 11:04

O que tem a ver a foto de Lula no mar com a notícia de que favelas e mineradoras podem ficar em áreas de proteção permanente? Resposta: a distração da imprensa.

A maldição do petróleo

Eduardo Pegurier
sexta-feira, 24 fevereiro 2006 11:00

Ter muito petróleo em casa, longe de ser esperança de desenvolvimento, pode significar a sentença de estagnação econômica e atraso político de um país.

Nadando na seca

((o))eco
sexta-feira, 24 fevereiro 2006 10:51

De Haroldo Rego Relaxa Carolina, e vá pular seu carnaval… Somos brasileiros e estamos nos lixando com o Acre e com tudo o que acontece nesse país. Prioridade de brasileiros é farrear, ver o show dos Rolling Stones, samba, futebol e cachaça. Portanto, conheça a Amazônia e tire boas fotos como lembrança antes que ela vire cinzas e pó. No mais, é relaxar e partir pro abraço. Dane-se o Brasil !!!

Clima Bíblico

((o))eco
sexta-feira, 24 fevereiro 2006 10:47

De Liz MaximianoProfessor Sérgio Gostaria que os professores brasileiros soubessem o “pouco” que o senhor sabe sobre a Bíblia. Ou, pelo menos, tivessem a disposição de pesquisar, como o senhor. Estamos preparando um encontro paralelo à COP8 para discutirmos justamente as bases cristãs sobre natureza, meio ambiente, etc. Ler o seu artigo foi animador, porque estou escrevendo texto semelhante para o evento. Aliás, gostaria de acrescentar uma informação que já me divertiu bastante pela surpresa que causa na gente: em Jó, 40:15 e 19, Deus diz que o hipópotamo é sua obra-prima! A propósito: pretendo utilizar seu artigo no evento. Espero que não se importe.

Mandíbulas

((o))eco
quinta-feira, 23 fevereiro 2006 21:23

Tem duas notícias sobre tubarões em notas abaixo e aqui vão mais duas. Uma está na National Geographic. Diz que nos últimos 5 anos, os ataques de tubarões contra humanos vem caindo e 2005 não foi uma exceção a essa regra. No ano passado, de acordo com estudo da Universidade da Flórida, houve 58 ataques confirmados, 7 a menos que no ano anterior. As razões para a queda tem pouco a ver com os bichos e tudo a ver com os humanos. Nas últimas duas décadas, as populações de tubarões nos oceanos caiu sensivelmente. Além disso, menos gente, por conta de manifestações naturais como chuvas torrenciais e furacões, tem caído n’água. A outra reportagem sobre o mesmo tema está no Mail & Guardian da África do Sul e conta que as Seychelles proibiram uma prática comum em suas águas territoriais: pescar tubarões para cortar apenas suas barbatanas. Além de cruel, porque o bicho é devolvido ao mar sem membros fundamentais para sua locomoção, esse tipo de pesca estava pressionando os estoques pesqueiros do país.

Navio-fantasma

((o))eco
quinta-feira, 23 fevereiro 2006 21:22

O Clemenceau, antiga nau capitânia da Armada francesa e irmão gêmeo do nosso porta-aviões São Paulo, virou um navio fantasma. Desativado, ia ser enviado à Índia para ser desmontado e vendido como sucata. Ambientalistas da Europa e Ásia acusaram a França de estar exportando poluição, porque o Clemenceau tem praticamente toda a sua estrutura revestida com amianto. As cortes indianas proibiram que o trabalho fosse feito no país. O egito impediu que o barco passasse pelo canal de Suez. Resultado, o Clemenceau ruma agora de volta ao porto de Brest, sua antiga base. Será péssimamente recebido. O prefeito da cidade disse ao Le Monde que teme os estragos que o navio poderá causar ao seu litoral se ficar ancorado apodrecendo.

Cultura, por enquanto, inútil

((o))eco
quinta-feira, 23 fevereiro 2006 21:20

A National Geographic anuncia a descoberta de um novo objeto cósmico e como quase tudo que se relaciona ao espaço, é praticamente impossível entender do que se trata. São estrelas de neutros comprimidas, que muito pouca gente faz idéia do que é, que receberam um nome que não vai torná-las mais palatáveis aos leigos, Radio Rotadores Transientes. Na imagem, se parecem com uma mola dobrada sobre a qual passa um laço de fita. Nem os especialistas sabem para que elas servem.

Frangostein

((o))eco
quinta-feira, 23 fevereiro 2006 21:18

No Guardian, uma reportagem informa que cientistas conseguiram fazer crescer dentes em galinhas. Isso mesmo. O que parece ser um piro científico, no fundo, é uma espécie de marco da manipulação genética. Os sábios alcançaram sua façanha fazendo um gene adormecido nos galináceos, herdados de seus antepassados e que provocavam neles o crescimento de dentes, acordar. Aparentemente, até então, esse tipo de mutação só acontecia quando se introduziam genes estranhos no organismo do animal.