Mudanças e tecnologias que melhoram o ambiente urbano

Até para os Americanos dirigir perdeu o charme
Eduardo Pegurier - 04/01/12

Loura e conversível: um relação a perigo nos EUA. Foto: KtylercConk Loura e conversível: um relação a perigo nos EUA. Foto: KtylercConk
Lisa Hymas, da Grist, chama a atenção para a queda de interesse dos americanos jovens e não tão jovens, em todas as faixas etárias desde o fim da adolescência à entrada na meia idade, estão menos interessados em obter uma habilitação e dirigindo menos. Ela nota que o debate sobre o envio de mensagens de celulares enquanto na direção de um carro perde de vista o ponto principal: o que está errado não é passar mensagens, mas sim ter menos opção que os europeus, principalmente, para fazer isso no transporte público.

Em suma, ela diz que os populares SMS ficam, enquanto o tempo do carro passou. Fatores como o pulo no custo da gasolina da última década, o preço do seguro, regulações cada vez mais exigentes para quem dirige e os congestionamentos infernais estão tirando a graça da direção até para os americanos, viciados em carro.

Em 2008, apenas 31% dos americanos com 16 anos de idade tinham suas carteiras de motorista, contra 46% em 1983, de acordo com um novo estudo da publicação Prevenção de Ferimentos no Tráfego (Traffic Injury Prevention). Os números também caírem para a idade de 18 anos, de 80% em 1983 para 65% em 2008, e a percentagem de pessoas na faixa dos 20 ou 30 anos com carteira de motorista também diminuiu. Até quem tem carteira está tentando dirigir menos. Um novo levantamento feito pela Zipcar, empresa de compartilhamento de automóveis, descobriu que mais da metade dos motoristas com menos de 44 anos estava se esforçando para reduzir o tempo que passam empacotados como ramsters nas suas brilhantes caixas de metal



Via Grist
 

Copyright © Todos os direitos reservados.