Classificado como febre amarela

Macacos encontrados mortos no Rio de Janeiro podem ter sido envenenados

Por Sabrina Rodrigues
Além de quatro macacos encontrados mortos próximos à Floresta Nacional da Tijuca, outras áreas protegidas do estado do Rio de Janeiro também sofrem com o sumiço de macacos. Foto: Peter Schoen/Flickr.

Quatro corpos foram achados próximos ao Parque Nacional da Tijuca. Veterinários ainda não descartaram febre amarela como possível causa da morte

Nenhum macaco bugio do Horto Florestal sobreviveu à febre amarela

Por Sabrina Rodrigues
Os macacos-bugios ou bugios-marrons (Alouatta guariba) são extremamente vulneráveis à febre amarela. Foto: Peter Schoen/Flickr.

Os 86 macacos pertencentes a 17 famílias de bugios foram exterminados desde a aparição do vírus, em São Paulo, em outubro do ano passado. Parque foi reaberto na terça (10)

Febre amarela está matando os bugios brasileiros

Por Shreya Dasgupta*
A febre amarela tem dizimado populações de bugios no Brasil. Foto: Carla Possamai/Projeto Muriqui de Caratinga

A febre amarela se espalhou rapidamente pelo Brasil, destruindo populações de bugios-marrons nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

Macacos são encontrados mortos no interior do Amazonas

Por Vandré Fonseca
O Zogue-zogues. Foto: Ana_Cotta/Flickr.

Carcaças de três espécies diferentes de primatas foram achadas na RDS do Rio Madeira. Casos são investigados por autoridades de Saúde e de Meio Ambiente

Febre amarela ameaça população de muriquis-do-norte

Por Daniele Bragança
Criticamente ameaçado de extinção, epidemia de febre amarela pode dizimar espécie. Foto: Peter Schoen/Flickr.

Mortal para humanos e macacos, a epidemia está ocorrendo muito próxima de local que concentra parte fundamental da população de muriquis, espécie criticamente ameaçada de extinção