Arquivo das categorias: Notícias

Impunidade de menos

Por Salada Verde

Na última semana, atendendo a pedido via ação civil pública encaminhada pelas ongs Justiça Ambiental, Sea Shepherd Brasil e Litoral Sul, o juiz federal substituto de Rio Grande (RS) Rafael Wolff determinou a apreensão dos bens da empresa pesqueira Dom Matos Comércio de Pescados e Resíduos Ltda. Em junho do ano passada, o Ibama flagrou uma embarcação da empresa com mais de três toneladas de barbatanas de tubarão.”A decisão do magistrado demonstra que o Poder Judiciário está atento e sensível aos problemas ambientais. Acreditamos firmemente que a punição financeira e a restrição patrimonial possuem importante efeito pedagógico, inibindo outros poluidores”, escreveram em nota as entidades ambientalistas.

Leia mais:

Alto preço do crime ambiental

David vence Golias transgênico

Por Salada Verde

Conforme o Greenpeace mexicano, após dois anos de batalha judicial o agricultor canadense Percy Schmeiser venceu a Monsanto. Ele queria que seus menos de 70 hectares de canola (oleoginosa) em Saskatchewan fossem “limpos” da contaminação por canola transgênica patenteada pela companhia. Pólen transgênico de campos vizinhos chegaram a sua plantação, com a ajuda do vento ou de insetos polinizadores. Ainda em 1998, quando ocorreu a contaminação genética, a empresa chegou a tentar cobrar royalties pelo uso de sua tecnologia. Depois, tentou que o agricultor assinasse um acordo onde garantir que qualquer membro de sua minha família jamais voltaria a demandar a Monsanto por contaminação e que se manteriam em silêncio quanto aos termos do acordo. E ainda há produtor rural que pensa em transgênico como bom negócio.

Farra geneticamente modificada

Por Salada Verde

A indústria transgênica mundial não tem nenhum outro objetivo a não ser ampliar os lucros privados e os monopólios produtores de sementes e agrotóxicos, com a desculpa esfarrapada de “matar a fome no mundo”. Para conhecer um pouco mais desse jogo sujo apoiado por vários governos, leia o artigo Os transgênicos e a farra do boi, publicado, publicado no Portal Imprensa por Wilson da Costa Bueno, jornalista, professor da Umesp e da USP. Confira aqui.

Glaciares derretem no Alaska

Por Salada Verde

Reportagem assinada por Cornelia Dean no New York Times (Estados Unidos) motra que, no Alaska, algo de curioso está ocorrendo. Enquanto no restante do mundo o aquecimento global faz o nível dos mares subir e as terras litorâneas encolherem, em Juneau o fenômeno é diferente. Enormes glaciares estão derretendo, deixando expostas terras antes pressionadas por milhares de toneladas de gelo e neve. A Groenlândia e outros locais sofreram efeitos semelhantes no passado, mas nada comparado ao Alaska. Os impactos ambientais são variados, incluindo o esgotamento de charcos. Mais informações (em inglês) aqui.

O fim para o DDT no Brasil

Por Salada Verde

Em 1962, a bióloga norte-americana Rachel Carlson lançou o livro que, para muitos, é o embrião do movimento ambientalista mundial: “Primavera Silenciosa”. Através de análises acuradas, ela descobriu que o DDT (pesticida mais usado na época em cultivos agrícolas) causava câncer em animais e seres humanos. Alguns anos depois, o fertilizante que deu ao químico suíço Paul Hermann Müller, seu descobridor, o Nobel de medicina em 1948 foi banido de diversas nações – inclusive os Estados Unidos.
 
Usado para combater vírus como o da malária e dengue, o DDT foi proibido na agricultura brasileira em 1985. Na ocasião, porém, seu uso continuou liberado para o controle de doenças. O panorama mudou nesta sexta-feira, quando o Diário Oficial da União publicou a Lei 11.936, assinada pelo presidente Lula. A partir de agora, estão proibidos no país “a fabricação, a exportação, a manutenção em estoque, a comercialização e o uso de diclorodifeniltricloretano (DDT)”. Todos os estoques deste pesticida espalhados pelo Brasil terão trinta dias para a incineração – com os devidos cuidados contra a poluição do ambiente e “riscos para a saúde humana e animal”. A notícia é ótima. Pena que demorou tanto para sair.

Sai decreto sobre compensação

Por Salada Verde

O governo publicou hoje no Diário Oficial da União um decreto para tentar regulamentar a polêmica compensação ambiental, ou aquele porcentual de obras de infraestrutura que deve ser revertido para ações de meio ambiente. Veja aqui. No texto, assinado por Lula e Carlos Minc, o valor das compensações é calculado com base em um “valor de referência”, definido a partir da soma dos investimentos e outros itens, vezes o “grau de impacto” nos ecossistemas, que varia de 0 a 0,5%. Especialistas em Direito Ambiental já sentem cheiro de problemas com esses limites, rechaçados pelo Supremo Tribunal Federal em abril do ano passado.

Saiba mais:
E agora, José?
Descaso verde em Fortaleza
Vivas no papel, esquecidas na prática
Uma mão lava a outra