Download PDF

Manaus, AM – Dois macacos brasileiros foram incluídos na lista dos 25 primatas mais ameaçados de extinção do mundo, elaborada para a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, em inglês), Sociedade Internacional de Primatologia (IPS) e Consevação Internacional (CI). A caça e a redução do habitat são as principais ameaças ao macaco-caiarara (Cebus kaapori) e o guariba-marrom-do-norte (Alouatta guariba guariba), que figuram na relação, ao lado de espécies como o gorila-de-Grauers e lemures raros de Madagáscar. A lista é válida para o período entre 2012 e 2014.

O caiarara é o primata amazônico mais ameaçado de extinção. Ele vive no noroeste do Pará e Nordeste do Maranhão, em uma região limitada por Belém (PA) e São Luiz (MA). O macaco-caiarara sofre muito com a degradação da. floresta. De acordo com a IUCN, a região onde ele vive tem os maiores níveis de desmatamento da Amazônia e conta com apenas uma área protegida para abrigá-lo, a Reserva Biológica de Gurupi (MA).

Macaco-caiarara (Cebus kaapori). (Fonte: Conservação Internacional)

Macaco-caiarara (Cebus kaapori). (Fonte: Conservação Internacional)

O guariba-marrom-do-norte é uma subespécie de bugio-ruivo endêmica da Mata Atlântica na região ao Norte do Rio Jequitinhonha, entre a Bahia e Minas Gerais. De acordo com a IUCN, existem menos de 250 guaribas-marrom-do-norte adultos na natureza, e nenhuma das populações conhecidas ultrapassa os 50 indivíduos em idade madura. Além da caça e derrubada da mata, incêndios são uma ameaça para este bicho que, como outras espécies de guariba, vocaliza alto e pode ser ouvido a quilômetros de distância.

Guariba-marrom-do-norte (Alouatta guariba guariba) (Fonte: Conservação Internacional)

Guariba-marrom-do-norte (Alouatta guariba guariba) (Fonte: Conservação Internacional)

A notícia boa é que, no Brasil, duas outras espécies saíram da lista -- o que não significa que estejam a salvo da extinção. Elas são o macaco-prego-galego (Cebus flavius), redescoberto na Zona da Mata Pernambucana em 2006, e o guigó-da-caatinga (Callicebus barbarabrownae). Eles estavam na relação publicada há dois anos, válida entre 2010 e 2012.

Outros três primatas exclusivos do Brasil chegaram a figurar nas discussões da International Primatologic Society, ocorrida no dia 14 de agosto deste ano: o cuxiú-preto (Chiropotes satanas), que vive na Amazônia Oriental, o mico-leão-da-cara-preta (Leontopithecus caissara), da Mata Atlântica entre São Paulo e Paraná, e o sauim-de-coleira (Saguinus bicolor), encontrado em Manaus e cidades vizinhas. Apesar de não figurarem na lista, estas espécies são consideradas ameaçadas.