Imazon: Altamira concentra 30% do desmatamento em setembro
Daniele Bragança - 16/10/12

O Imazon publicou os dados do SAD de setembro registrando um aumento alarmante de 154% do desmatamento na Amazônia Legal, em comparação com setembro de 2011. Foram desmatados 431 km² de floresta. Desse total, registrou-se 126, 3 km² − quase 30% − em apenas um município: Altamira.

Trata-se do maior município do país e quiçá do mundo. Têm 159,5 mil km², uma área maior 1,7 vezes maior que Portugal. Os assentamentos e unidades de conservação que mais desmataram em setembro encontram-se dentro de seus domínios. A Floresta Nacional de Altamira, por exemplo, perdeu 17 km² em setembro e lidera o ranking do desmatamento em unidades de conservação na Amazônia. Em seguida, vem a Floresta Nacional do Jamanxin, que perdeu 9,2 km².

“Devemos observar que Altamira se localiza em uma área crítica em temos de desmatamento. Está localizada na nova fronteira do desmatamento. Em sua grande área territorial encontramos assentamentos com grandes taxas de desmatamento e unidades de conservação como a Flona de Altamira e a APA Triunfo do Xingu, que vem sofrendo forte pressão humana. Outro vetor do desmatamento é a pressão oriunda de municípios próximos como Novo Progresso, onde se encontra a Flona de Jamanxin”, diz Heron Martins, um dos pesquisadores responsáveis pelo Boletim do Desmatamento do Imazon.


Desmatamento em UCs e assentamentos
Assim como em agosto, no mês de setembro foram desmatados 50 quilômetros quadrados dentro de unidades de conservação. Isso representa 11% de todo o desmatamento detectado no mês. Outros 15% foram registrados em assentamentos de reforma agrária. Por ser corresponsável pelo problema, o Incra foi condenado a adotar medidas para cessar o desmatamento em todos os 1.220 assentamentos instalados em território paraense.

Diferenças entre Deter e SAD
Os números do Deter e do SAD para agosto e setembro são muito diferentes. Em agosto, os dados do Imazon mostraram uma queda de 3%, enquanto o Deter acusou uma disparada de 220%%, ambos em comparação com agosto de 2011.

Em setembro, eles inverteram: O SAD acusou esse aumento de 154% em relação a setembro de 2011, enquanto o Deter aponta um aumento moderado de 11%.

A explicação para a diferença está na diferença de metodologia usada pelos dois institutos: “existem diferenças em termos de período de detecção, percentual de nuvens e interpretação de desmatamento. Parte do que foi detectado em agosto pelo Deter (87,97 km²) nós já tínhamos detectados em meses anteriores pelo SAD. Em relação à área detectada em setembro pelo SAD, cerca de 14,7% tinha sobreposição com detecções do Deter em agosto” explica Heron Martins.
 
Desmatamento por estados
O estado do Pará continua no topo da lista dos estados com maior taxa de desmatamento, 68% do total para a Amazônia Legal em setembro. Veja a distribuição do desmate por estado no gráfico. O SAD não analisa os números do Maranhão.

 

Copyright © Todos os direitos reservados.