Download PDF

Batizado de Tuxauazinho Sião pela equipe, filhote de peixe-boi está em bom estado de saúde. Foto: João Cunha.

 

Após 10 dias de cuidados do Instituto Mamirauá, um filhote de peixe-boi de 84 centímetros, pesando cerca de 10 quilos e meio foi transportado, na madrugada do último sábado (09), por lancha, de Tefé (AM) para a sede do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), que fica em Manaus, até que esteja apto a voltar ao seu habitat natural.

A história do resgate do filhote, batizado de Tuxauazinho Sião, começou quando um pescador encontrou o pequeno peixe-boi, de aproximadamente 2 meses, nas proximidades da comunidade Monte Sião, que fica na zona leste de Manaus. Moradores do local procuraram o Instituto Mamirauá, uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em busca de cuidado especializado para o animal.

O Grupo de Pesquisas em Mamíferos Aquáticos Amazônicos (Mamaq) do Instituto tratou da alimentação e atendimento de saúde do mamífero aquático. Segundo a pesquisadora Hilda Chávez, do Mamaq, Tuxauazinho, cujo nome é uma homenagem à comunidade onde foi encontrado, está em boas condições físicas. "Passados uns dias com a equipe, (o peixe-boi) passou a se movimentar mais, brincar e a comer as plantas, ele já está comendo plantas muito bem, além da amamentação. Foi bem interessante como ele evoluiu nesse período", afirma a pesquisadora.

 

Assista ao vídeo do filhote sendo amamentado:

 

Filhote de peixe-boi na comunidade onde ele foi cuidado até o resgate do Instituto Mamirauá. Foto: Hilda Chávez.

 

Peixe-boi sendo entregue para Antônio Pinto (foto), técnico do Instituto Mamirauá. Foto: Hilda Chávez.

 

Equipe do Grupo de Pesquisa em Mamíferos Aquáticos Amazônicos do Instituto Mamirauá amamentam o filhote. Foto : João Cunha.

 

Ações de conservação do peixe-boi amazônico contam com financiamento da Fundação Grupo Boticário. Foto: João Cunha.

 

A pesquisadora Hilda Chávez (esquerda) e a veterinária Paula Araújo (à direita) em atendimento ao peixe-boi. Foto: Marco Paim.