Download PDF
Dois caçadores furtivos foram mortos após troca de tiros com os guardas-florestais do Zimbabwe Parks, nas Montanhas Matusadona. Foto: Andrew Ashton/Flickr.

Dois caçadores furtivos foram mortos após troca de tiros com os guardas-florestais do Zimbabwe Parks, nas Montanhas Matusadona. Foto: Andrew Ashton/Flickr.

Os guardas-florestais do Zimbabwe Parks (Zimparks) e Autoridade de Gerenciamento da Vida Selvagem (Wildlife Management Authority), órgão que administra toda a população de vida selvagem do Zimbábue, dispararam e mataram dois caçadores furtivos após uma troca de tiros nas Montanhas Matusadona. O incidente ocorreu na tarde de segunda-feira (11), durante uma patrulha dos guardas que se depararam com quatro criminosos. Outros dois conseguiram escapar.

O diretor de relações públicas do Zimparks, Tinashe Farawo, afirmou que os guardas-florestais tiveram que recorrer à troca de tiros, resultando na perda de vidas. Acrescenta ainda que o ocorrido serve como aviso para que caçadores furtivos saibam que as autoridades farão de tudo o que estiver ao seu alcance para proteger a vida selvagem do país.

O governo do Zimbabwe adotou uma política orientando os guardas-florestais a atirarem caso encontrem qualquer caçador furtivo dentro de um parque nacional.

O caso foi encaminhado para a polícia.

Leia Também

Criminosos envenenam dez elefantes no Zimbabwe

Caçador morre esmagado por elefante na Namíbia

Caçador que matou o leão Cecil enfrenta clamor por processo